Policiais militares prenderam no início da noite desta quinta-feira, 06, na região sul de Goianésia um homem de 33 anos que é suspeito de abusar sexualmente de sua enteada, uma adolescente de 14 anos.

De acordo com a polícia, a denúncia foi feita por uma irmã da menor. Ela relatou que sua irmã e vítima havia confidenciado que estava sofrendo abusos sexuais a mais de um ano, por parte de seu padrasto. Ela relatou ainda que adolescente havia saído da residência de sua mãe pedindo abrigo em sua casa por temer um mal maior contra a sua vida, e a vida de sua mãe.

Diante da denúncia, os PM’s questionaram a menor sobre os fatos relatados pela irmã e ela contou que seu padrasto realizava abusos com frequência contra ela, tais como passar a mão sobre seu corpo, seios, pernas, em suas partes íntimas quando ela ia dormir. Segundo relatos da menor, na hora do banho seu padrasto colocava o celular na trave do banheiro ou dentro do bolso de calças que ficavam dependuradas em pregos dentro do banheiro, afim de gravá-la durante o banho.

A vítima relatou ainda que chegou a ameaçar o padrasto de contar o que estava acontecendo a sua mãe, mais ele, de forma incisiva, a ameaçou de morte, inclusive a agrediu com uma mangueira, dizendo também que descontaria em sua mãe, assim, permaneceu em silêncio escondendo os acontecimentos de sua mãe.

De acordo ainda com a adolescente, tais fatos aconteceram durante um período que sua família morava na zona rural e que o último abuso havia sido há aproximadamente 30 dias, e estaria morando com sua irmã há cerca de uma semana, sendo esta a forma encontrada para evitar novos abusos.

De posse do endereço do suspeito, os PM’s deslocaram até sua residência e, apesar de ter negado os abusos, ele foi conduzido para a Delegacia de Polícia para que os fatos fossem apurados, até porque durante abordagem, ao realizar consulta de antecedentes criminais, foi constatado que o suspeito possui passagem policial pelo crime de estupro, datado de 2009, na cidade de Barro Alto.

Ao questionar a mãe da adolescente, ela explicou que mora com o suspeito a aproximadamente dois anos e que nunca havia notado tal fato, mais sim uma mudança de comportamento da filha em relação ao seu marido.

Durante a averiguação ainda foi apreendida uma arma de fogo (modelo e calibre não informado pela polícia) pertencente ao suspeito que estava na casa de um vizinho.