O período de chuvas de verão, com ventos fortes e grande incidência de queda de árvores e galhos sobre a rede, é desafiador para o sistema elétrico. Para se preparar para esse período, a Enel Distribuição Goiás acaba de anunciar o Plano Verão, que consiste em um conjunto de ações e procedimentos envolvendo todas as áreas da companhia, com o objetivo de garantir mais sinergia entre as equipes e, com isso, maior eficiência no atendimento e rapidez na resposta às ocorrências.

“Esse Plano é resultado de meses de trabalho, período no qual buscamos identificar e ajustar as falhas nos diferentes processos que envolvem o serviço de distribuição de energia. Desenhamos diferentes cenários e fizemos exercícios simulados envolvendo todas as áreas, com o objetivo de garantir que sejamos efetivos e rápidos em momentos de grande contingência”, explicou o responsável de Operações e Manutenção, José Januário de Oliveira Neto.

Ele enfatizou ainda que, como parte do Plano Verão, foram estabelecidas ações preventivas, como mutirões de poda e manutenção. Entre os meses de julho e agosto deste ano, por exemplo, a empresa realizou mutirões de ações preventivas em mais de 40 cidades. Além disso, promoveu uma rodada de reuniões com mais de 90 prefeituras e autoridades do poder público, com o intuito de escutar as demandas dos municípios e propor soluções, ampliando o diálogo e estreitando a relação com esses agentes. “Isso não quer dizer que não teremos problemas, pois a rede elétrica goiana é extensa, ainda está passando por modernização e está sujeita à ação climática. Uma chuva com ventos fortes, por exemplo, pode gerar a ruptura de cabos ou a queda de árvores sobre a rede. Os raios também são outro fator agravante. Mas com o Plano Verão, teremos muito mais capacidade de resposta do que tínhamos antigamente, pois estamos melhor estruturados e treinados para responder com rapidez”, disse Januário.

Prova disso foi o resultado alcançado nas primeiras chuvas deste mês, quando o Plano Verão já obteve um resultado extremamente positivo. “Alcançamos números inéditos, atendemos cerca de 5 mil ocorrências em 48h, resultado de muito planejamento, automação da rede e reforço das equipes”, ressaltou.

Investimentos
Os investimentos feitos desde que a Enel assumiu a distribuição de energia em Goiás também começam a dar frutos, contribuindo para um verão mais tranquilo. A modernização e construção de novas subestações de energia – já foram construídas 7 novas subestações e 86 ampliadas e modernizadas –, bem como a construção de 5,3 mil quilômetros de novas redes e o investimento em tecnologia, trazem mais confiabilidade para o serviço prestado à população. Já foram instalados cerca de 5 mil equipamentos de telecontrole em Goiás, aparelhos que são controlados à distância por técnicos que ficam no Centro de Operações, localizado na sede da companhia, em Goiânia. Com os equipamentos telecontrolados, os técnicos da empresa conseguem localizar e isolar um defeito de maneira rápida, recuperando o fornecimento de energia em sua totalidade em menos de três minutos ou deixando o menor número possível de clientes sem o serviço até que os reparos necessários sejam concluídos.  Essa modernização do sistema tem contribuído para a queda de cerca de 40% na duração e na frequência das quedas de energia em Goiás.

Ainda como parte do planejamento da companhia para agilizar o atendimento das ocorrências, a Enel aumentou em 73% o número de equipes em campo (são cerca de 6 mil eletricistas) e em 50% o número de equipes de atendimento em loja, call center e equipes de atendimento a grandes clientes e governo. Também ampliou, de 29 para 62, o número de bases avançadas de atendimento, encurtando distâncias e ganhando em agilidade em campo, especialmente na zona rural. “Nessas bases, contamos com equipes, veículos, ferramentas e todos os materiais necessários para a realização de atendimentos emergenciais e de rotina. Com isso, já alcançamos, por exemplo, uma redução média de 34% nas distâncias que as equipes precisam percorrer para buscar equipamentos ou insumos para a realização de serviços”, concluiu.