Pai é preso suspeito de estuprar a própria filha e ameaçar a família, em Piracanjuba — Foto: Divulgação/Polícia CivilG1 Goiás - Um homem de 47 anos foi preso suspeito de estuprar a própria filha, de 22 anos, na fazenda onde a família vive, na zona rural de Piracanjuba, no sul de Goiás. Segundo a Polícia Civil, os abusos eram diários e o autor ameaçava matar a própria esposa e os outros quatro filhos se a vítima contasse para alguém sobre os crimes. De acordo com os investigadores, a jovem relatou que os crimes aconteciam no chiqueiro e no curral.

O G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito, pois o nome dele não foi divulgado pela corporação. Em depoimento, ele negou o crime.

A prisão aconteceu por volta das 11h00 de sexta-feira, 17. Os policiais receberam uma denúncia de que uma jovem vinha sofrendo violência sexual praticada por seu próprio pai biológico. Além disso, a vítima denunciou que estava sendo mantida em cárcere privado na casa.

Após receber a denúncia, militares da 19ª DRP de Caldas Novas foram até o local, onde encontraram o suposto autor, a vítima, além da mãe e os outros quatro filhos menores do casal.

Com a chegada da Polícia Civil, a vítima admitiu que vinha sofrendo os abusos há cerca de quatro anos e que o pai sempre a estuprava em locais afastados da casa, como no curral e chiqueiro, para que ninguém os visse.

Ainda segundo a Polícia Civil, a vítima disse ainda que foi violentada na manhã de sexta-feira. Após verificar as evidências do crime, a jovem fez exame de corpo de delito. O resultado deve sair em uma semana, segundo o delegado Leylton Barros, responsável pelo caso.

“Temos provas de mensagens trocadas entre a jovem e um terceiro, além das contradições apresentadas pelo pai em relação aos fatos. A vítima também teria gravado um vídeo do momento em que a mesma era abusada pelo seu pai, mas ela teria apagado com medo d eo autor ver. Estamos tentando ter acesso ao conteúdo”, disse Leylton.

De acordo com o delegado, o suspeito, que já possui passagens criminais por furto e extorsão, recebeu voz de prisão em flagrante por estupro e foi levado para a delegacia da cidade, onde pode cumprir até 10 anos de prisão.

“Ele foi ouvido na presença de advogados e se limitou a negar os fatos. Porém, reunimos muitas provas e evidências da existência dos abusos”, explicou o delegado.