O governador Ronaldo Caiado (DEM) decidiu reagir nesta quarta-feira, 25, ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmando que os decretos do Estado continuarão valendo e que o presidente não tem respeito por aliados. "Fui aliado de primeira hora, durante todo o tempo. Mas não posso admitir que venha agora um presidente lavar as mãos e responsabilizar outras pessoas por um eventual colapso. Não faz parte da postura de governante", disse, em entrevista coletiva.

Caiado também disse que só falará com Bolsonaro por comunicados oficiais, assim como fez o presidente. Afirmou que o discurso é irresponsável e desrespeitoso. "Dizer que isso é um resfriadinho, uma gripezinha? Ninguém definiu melhor que Obama: na política e na vida, a ignorância não é uma virtude".

Criticou também empresários que só pensam em perdas de lucros.

O democrata, que relutava em reagir à sequência de críticas do presidente às medidas adotadas pelos governadores até ontem, disse que passou a noite refletindo sobre o pronunciamento. "Conversei longamente com minha consciência. Será que o mundo todo está errado, a comunidade científica inteira? Tomo decisões médicas. Me causa indignação".

O presidente perde apoio do governador mais próximo desde a sua eleição.