Jovem que foi para a UTI após ser diagnosticada com doença da 'urina preta' recebe alta, em Goiânia — Foto: Divulgação/Hospital Jardim América Goiânia (G1 Goiás) - A moradora de Goianésia Kelly Silva, de 27 anos, recebeu alta nesta segunda-feira, 26, depois de um mês internada em Goiânia para tratar da “doença da urina preta”. Kelly chegou a ir para uma Unidade de Terapia Intensiva - UTI - e passar por sessões de hemodiálise. A mãe dela, Maria da Conceição disse que está emocionada com a boa recuperação da filha.

“Agora estamos mais aliviadas, passou o sufoco. Ela viveu muita coisa, teve medo de não voltar, mas graças a Deus ela está bem e está surpreendendo a medicina depois o avanço do quadro clínico”, comemora a mãe.

De acordo a Secretaria Municipal de Saúde de Goianésia, a mulher apresentou sintomas da Síndrome de Haff nas primeiras 24 horas após comer peixe contaminado, em 24 de junho. A doença foi confirmada em um hospital de Goiânia e ela deu entrada em um leito de UTI assim que chegou a capital.

O diretor médico da unidade Patrick Ponciano Lima de Almeida disse em nota que nos primeiros dias de tratamento Kelly não teve evolução satisfatória e chegou a ser intubada. No entanto, segundo o profissional, após a extubação, ela apresentou melhora clínica e foi possível liberar a alta médica.

A caminho de Goianésia, a mãe da jovem agradece o apoio de amigos e familiares e relata o sucesso do tratamento da jovem.

“Os rins e os movimentos estão voltando a funcionar, ela está bem. Muita gratidão a Deus e às pessoas que se uniram a nós com oração. Tinham pessoas do Brasil inteiro orando”, conta Maria da Conceição.

O diretor do hospital em que a jovem fez o tratamento explicou que, mesmo após a alta médica, Kelly vai continuar o tratamento com a equipe de nefrologia, psicologia e fisioterapia.