A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio das Delegacias de Polícia de Orizona e Vianópolis, com apoio da equipe da DP/Pires do Rio e de policiais do 11° BPM/9° CRPM, deflagrou, no dia 28 de novembro, a Operação Ródia, para cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido em desfavor de um indivíduo de 39 anos, investigado por latrocínio; e três mandados de busca e apreensão em residências no Povoado da Cachoeira, no município de Orizona.

As investigações se iniciaram na noite do último dia 23, quando a vítima, proprietária de um mercado no povoado, foi encontrada sem vida dentro de sua residência, com várias lesões perpetradas por um instrumento de corto contundente na região do rosto. Realizadas diligências pela equipe da Polícia Civil no local do crime, foram identificadas fontes de prova preliminares e todos os envolvidos, incluindo testemunhas oculares, foram imediatamente ouvidas pela autoridade policial.

O texto da publicação continua após a publicidade

Evidências apontaram que o investigado, agindo do mesmo modo já praticado anteriormente, se dirigiu até a casa da vítima com o objetivo de subtrair valores em espécie e, antes de ingressar no imóvel, desligou o padrão de energia para impedir o registro de imagens pelas câmeras de segurança. Depois de passar cerca de quatro horas dentro da residência da vítima, o suspeito deixou o local, religou o padrão de energia e fugiu em direção a uma mata escura, levando valor ainda inexato.

Elementos de informação reunidos pelas investigações, no entanto, deram conta de que, logo depois de deixar a residência da vítima, o investigado, com o objetivo de reduzir as suspeitas que recaíam sobre ele, se recolocou na cena do crime para agir como mais uma testemunha e, com isso, criar um possível álibi, o que não se sustentou diante do arcabouço probatório angariado, consubstanciado por depoimento de testemunhas, análise de imagens de câmeras de segurança e outros meios de obtenção de prova.