O Dia dos Pais está chegando e com ele a dúvida sobre qual o presente ideal para cada estilo de pai. Alguns filhos apostam em artigos de vestuário, calçados e até alimentícios. Outros sabem que os pais vivem conectados e curtem as novidades e praticidades dos produtos eletrônicos. Tem também aqueles que são “pai pra toda obra” e se aventuram como encanadores, eletricistas, pedreiros e pintores do final de semana. Pensando nisso, a Equatorial Goiás separou algumas dicas úteis na hora de escolher o presente.

Para quem vai presentear com produtos elétricos ou eletrônicos, a dica é estar atento à eficiência energética e à segurança. Isso porque aparelhos de baixa qualidade ou de procedência duvidosa podem causar desperdício de energia e até mesmo provocar acidentes elétricos. Por isso:
- Verifique o selo Procel de eficiência energética: ele indica que o produto foi testado e aprovado quanto a sua eficiência energética. Essa é uma forma de garantir menor consumo de energia e economia na conta de luz;
- Prefira produtos com tecnologia LED, que proporciona mais eficiência energética, ajudando a economizar energia e a reduzir o impacto ambiental;
- Cheque as especificações técnicas: confira se é indicado para as necessidades do seu pai;
- Instale corretamente: para garantir a segurança da família e para evitar sobrecargas na rede elétrica;
- Descarte corretamente: quando um produto eletrônico se torna obsoleto, é importante descartá-lo corretamente para evitar danos ao meio ambiente.

O texto da publicação continua após a publicidade

Para o executivo de segurança do trabalho da Equatorial Goiás, Alex Fernandes, muitas opções de presentes para os pais são eletrônicos, por exemplo um barbeador elétrico, notebook, celular, churrasqueira elétrica, furadeira e caixa de som, entre outros. “Por isso, ao pensar em um eletrônico como presente é fundamental observar os quesitos economia e segurança, para que a surpresa não seja desagradável”, comenta.

Mas as dicas não param por aí. Para quem é “pai pra toda obra”, a recomendação é não se aventurar colocando a própria vida e a de toda família em risco com reparos, manutenções, gambiarras e consertos de equipamentos. É recomendado sempre a busca de profissionais habilitados e capacitados para realizar estes serviços. Deve-se sempre lembrar de:
- Fazer a manutenção periódica das instalações elétricas, revisando a cada cinco anos;
- Instalar o sistema de aterramento, DPS (Dispositivo de Proteção Contra Surtos) e os dispositivos DRs (Diferencial Residual), pois esses equipamentos garantem a segurança em relação à eletricidade e previnem acidentes;
- Quando possível, substituir as tomadas fora do padrão (2 pinos) por tomadas do novo padrão (3 pinos);
- Preferir a instalação de novas tomadas em vez de utilizar benjamins (Ts) e extensões;
- Não utilizar aparelhos eletrodomésticos em mau estado;
- Ao comprar cabos elétricos, atentar para os requisitos exigidos pela legislação do INMETRO, ou seja, cabos certificados e compatíveis com a quantidade e a potência identificada no levantamento de carga;
- Não utilizar emendas inadequadas nas instalações elétricas da casa.

Alex Fernandes pontua que é preciso conhecer os riscos para que a energia esteja disponível de forma segura. “Alguns princípios fundamentais devem ser seguidos na utilização da energia elétrica, por isso, somente profissionais que possuam conhecimento na área devem fazer reparos e manutenções dentro e fora de casa. No entanto, sabemos que muitas pessoas têm o hábito de dar um jeitinho naqueles equipamentos que estão com mal contato, com a fiação exposta ou até danificados. Nesses casos, o ideal é descartar corretamente o produto e adquirir um novo, com as condições de uso ideais para a segurança de todos”, finaliza.