Divulgação/Polícia CivilA Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA), deflagrou, na manhã desta terça-feira, 04, em apoio à Delegacia de Fraudes de Frutal/PCMG, a Operação Laranja Podre, que apura crimes cometidos por organizações criminosas especializadas e voltadas à prática de cibernéticos na modalidade fraude eletrônica, cometidos em diversas cidades de Minas Gerais e em outros estados brasileiros. Foram expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Frutal nove mandados de prisões preventivas e sete mandados de busca e apreensão contra os investigados.

Em Goiás, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão domiciliar e quatro pessoas foram presas preventivamente, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis. O grupo criminoso baseado em Goiás teria aplicado diversos golpes em vítimas residentes em Minas Gerais. Os investigados teriam aberto várias contas bancárias, sendo que alguns deles possuía mais de trinta contas em instituições bancárias diversas, por onde recebiam os valores obtidos na aplicação dos golpes.

O texto da publicação continua após a publicidade

Durante a operação, também foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão em Mato Grosso, onde outras três pessoas foram presas. Além das prisões, também foram colhidos materiais probatórios que serão analisados na continuidade das investigações.

Segundo as investigações realizadas pela polícia mineira, somente naquele estado, as vítimas do grupo criminoso desarticulado nessa operação teriam sofrido um prejuízo financeiro de aproximadamente R$ 150 mil, sendo que o valor total auferido pelas atividades criminosas do grupo podem chegar a casa de R$ 2 milhões.



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage