Os policiais penais Gilson Cavalcante e Edson Pereira receberam um pedido de socorro inusitado quando se deslocavam para o trabalho na Unidade Prisional Regional de Santo Antônio do Descoberto, no Entorno do Distrito Federal. Pessoas na rua gritavam desesperadas por ajuda, devido a uma senhora de 59 anos que se engasgava. Diante disso, os policiais rapidamente pararam a viatura e foram ao encontro da mulher.

Rosa Maria da Silva é cozinheira em um restaurante da região central da cidade. Durante o expediente da tarde, ela acabou se engasgando com um pedaço de alimento. Vendo a situação, as pessoas no local começaram a buscar ajuda desesperadamente pela rua. Foi nesse momento que a viatura da Polícia Penal passava pela avenida, em frente ao restaurante. Os policiais ouviram os gritos e desceram para ajudar.

Treinados em primeiros socorros, a dupla rapidamente entendeu a situação de obstrução das vias respiratórias, e começaram os procedimentos da “Manobra de Heimlich”. A técnica consiste em aplicar pressão repetidamente sobre a área do diafragma, abaixo do peito, para expulsar o objeto que está impedindo a respiração. Depois de alguns segundos do início da ação e apreensão por parte de quem assistia, Rosa Maria voltou a respirar.

“Após o ocorrido era nítida a emoção e admiração da senhora e das pessoas ao redor pelo trabalho realizado. Ela estava extremamente feliz e agradecida por lhe salvarem a vida, pedindo até uma foto com o policial penal Gilson Cavalcante, responsável pela manobra”, revela Eliabe Nascimento, diretor da UPR de Santo Antônio do Descoberto.

Cozinheira Rosa Maria da Silva e o policial penal Gilson Cavalcante: ela foi salva por meio da “Manobra de Heimlich, aplicada com sucesso pelo servidor penitenciário” - Imagem: Divulgação



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage
WhatsApp - Grupo