A Delegacia de Polícia de Goianésia informou que o laudo de exame cadavérico da criança Maria Clara Figueredo Borges, de 05 anos, foi concluído pelo Instituto Médico Legal (IML) de Uruaçu e foi constatado que a causa da morte foi “acidez metabólica”. Segundo o laudo, “a criança apresentou estado hiperglicêmico com quadro grave de acidose metabólica, refratária a tratamento, inclusive de hemodiálise. Os distúrbios hidroeletrolíticos levaram a instabilidade hemodinâmica e morte”.

A menina, de acordo com o laudo, foi admitida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Goianésia com a glicose bastante alta, e em razão disso desenvolveu o que se chama de acidose metabólica, que significa que o sangue ficou muito ácido, causando desequilíbrios que levaram a criança a instabilidade e, por fim, a óbito.

O texto da publicação continua após a publicidade

Além disso, o laudo aponta que as tomografias feitas em Maria Clara, assim como exame feito no corpo da criança, não trouxeram indícios para afirmar que houve agressão (as descrições das tomografias e dos achados cirúrgicos não trazem elementos que possam afirmar que houve lesões contundentes por violência-agressão). Também não foram encontrados indícios de violência sexual.

Após a divulgação do laudo, por parte da Polícia Civil, a Central de Notícias Meganésia (CNM) conversou com o médico Marcos Vinicíus Nunes da Silva, o Dr. Marcos Vinicíus, para tentar entender o que provoca esta doença. Em entrevista exclusiva ao repórter Dener Rafael, o médico explicou que ela possui inúmeras causas, e geralmente em crianças, ela é uma descompensação da glicemia, seria uma diabetes “tipo 1”.

Outro fato que pode acarretar a “acidose metabólica" é a diarréia aguda, principalmente em idosos. A má alimentação e colesterol muito alto, também são outros fatores que podem provocar a “acidose”.

“Todas as pessoas têm que fazer seus check ups, seus exames de rotina. E toda criança até os cinco anos, é bom fazer glicose em jejum, e hemoglobina glicada, porque às vezes a criança não sabe relatar”, explicou Dr. Marcos Vinicíus.

O médico esclareceu ainda que os pais precisam ficar atentos a alguns sintomas, uma vez que podem dizer muito do que a criança pode vir a desenvolver. “Se você vê seu filho levantando várias vezes pra fazer xixi a noite, ou urinando na cama, tem que tomar cuidado com o tipo diabetes, porque o diabetes tipo 1, ele nasce com a criança, ele não se desenvolve ao longo dos anos. O tipo 2 que é que desenvolve com má alimentação e falta de exercício”, explicou.



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage
WhatsApp - Grupo