Divulgação/Polícia CivilA Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Porangatu, investiga um crime de infanticídio, praticado na madrugada deste domingo, 05, no qual, inicialmente, pensou-se que a genitora, de apenas 14 anos, tinha tirado a vida da própria filha recém-nascida logo após dar à luz, em casa.

A menina era investigada pelo ato infracional e teria conseguido esconder a gravidez de todos os familiares até o momento em que não foi mais possível, tendo ela mesma realizado o parto, sozinha, no banheiro de sua casa. Após início das investigações acerca da morte do recém-nascido, no entanto, a equipe da Polícia Civil prendeu em flagrante um casal suspeito de auxiliar no crime.

O texto da publicação continua após a publicidade

Após realizar o parto, as investigações apontam que, de posse de uma faca, a genitora, sob influência de estado puerperal e do casal, cortou o pescoço da criança e, em seguida, a colocou no saco de lixo. De acordo com o apurado até o momento, a adolescente, de 14 anos, teve relações sexuais com o companheiro de sua prima, acarretando na gravidez, que foi objeto de várias tentativas de interrupção através de medicamentos abortivos fornecidos pela sua prima e por seu companheiro, pai da criança, porém sem sucesso.

Em razão do parto, a mãe perdeu muito sangue e foi levada ao hospital, tendo a equipe de saúde constatado um parto recente. Perguntaram pela criança, ao que um familiar da menina, por conta própria, foi à residência e encontrou a recém-nascida dentro de uma sacola, levando-a para o hospital.

Após este momento, a equipe da Polícia Civil foi acionada e, a partir de então, iniciaram-se as investigações, assim como foram realizadas perícias no local. A adolescente recebeu os devidos cuidados médicos e encontra-se à disposição do juízo da infância e juventude de Porangatu, enquanto que o casal foi encaminhado para a Unidade Prisional, onde aguardarão o desfecho da investigação, já que foram apreendidos aparelhos celulares que auxiliarão no apuratório final do caso.

Diante disso, todos os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia, tendo sido a menor apreendida após receber alta hospitalar, e a sua prima e seu companheiro presos, os quais foram autuados por ato infracional análogo a homicídio e crime de homicídio triplamente qualificado, respectivamente.



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage
WhatsApp - Grupo