Você sabe como tratar atletas lesionados? Essa é uma dúvida bastante pertinente para aqueles que querem trabalhar nessa área.

Afinal de contas, de acordo com as informações da Medicina Esportiva, as lesões que os atletas sofrem afetam toda uma equipe, e não apenas um único atleta em si.

O texto da publicação continua após a publicidade

Diante desse fator, saber como tratar atletas lesionados acaba se tornando fundamental, até mesmo para garantir o seu retorno o quanto antes for possível.

E uma coisa que costuma acontecer bastante nos esportes é justamente as lesões, seja em modalidades que exijam algum contato físico com outros atletas ou não.

Além do mais, para aqueles esportistas de elite, saber como tratar atletas lesionados se torna ainda mais importante, haja vista que existe uma cobrança e pressão maior.

E isso ocorre justamente para que ele não perca o ritmo das competições, mas que possa manter com o seu objetivo.

E, saber como tratar atletas lesionados se torna importante porque, assim, o atleta consegue voltar a competir o quanto antes, sem que se torne um trauma.

Sempre que um atleta sofre alguma lesão, seja ela uma ruptura, fissura ou fratura, é vital ficar atento e prestar o devido apoio.

Então, para entender um pouco melhor sobre como tratar atletas lesionados, é só continuar neste artigo que iremos falar tudo a esse respeito. Sem mais delongas, vamos ao que realmente importa.

Como tratar atletas lesionados?

Depende do tipo de lesão esportiva, uma vez que cada uma requer um tipo de tratamento diferente, já que a região também necessita de cuidados ou intervenções mais específicas.

Caso se trate de uma lesão nas mãos, pode ser necessário que o atleta passe pela fisioterapia mão após cirurgia, por exemplo.

Em contrapartida, se porventura não se tratar de algo muito grave, o tratamento pode se basear apenas em medicação, repouso ou compressas de gelo.

Agora, se a lesão foi algum tipo de ruptura de ligamento ou até a quebra de ossos, torna-se necessário uma cirurgia ortopédica ou mesmo a imobilização da parte do corpo que foi afetada.

Mas, a grande questão a se levantar sobre como tratar atletas lesionados, é a respeito da importância de sempre procurar o profissional.

Dizemos isso porque cada lesão detém as suas próprias características. Dessa forma, o mesmo tipo de fratura pode ter uma forma de tratamento diferente.

Até mesmo porque o procedimento para tratar pode variar de acordo com o esporte que se pratica, idade etc.

Mas, de toda forma, evite a automedicação e não insista em realizar a prática estando com alguma lesão.

Entendendo os diferentes tempos para a recuperação

Outra coisa que se deve saber sobre como tratar atletas lesionados, é a respeito dos diferentes tempos para se recuperar.

Segundo a Medicina Esportiva, é de fundamental importância que o treinador entenda o tipo de lesão que o atleta sofreu, para só então saber de que forma proceder para a sua recuperação.

Isso é importante porque algumas lesões requerem que o atleta pare de competir imediatamente e se mantenha em repouso depois de alguma intervenção cirúrgica.

Em contrapartida, há outras cujo tratamento pode ser apenas com medidas menos invasivas. Por consequência, permite com que o atleta possa voltar às suas atividades esportivas muito mais rápido.

Fora isso, outro ponto a se destacar sobre como tratar atletas lesionados, é que a Medicina Esportiva também reconhece que algumas lesões requerem tempos fixos para a recuperação.

Porém, algumas outras podem sim variar de acordo com as circunstâncias.

Por exemplo, uma cirurgia de ligamento, na grande maioria das vezes, leva pelo menos 6 meses para que o atleta se recupere, enquanto uma torção no tornozelo pode levar apenas algumas semanas.

No caso de atletas, é muito comum de aplicar medidas para aliviar a dor e usar bandagens que sejam funcionais.

Dessa forma, acaba por permitir com que eles continuem a competir, mas sem que isso aumente o risco de piorar a lesão.

Lesão que não são tão graves

Lesões que para uma pessoa comum, que não é atleta, pode ser muito grave, para um atleta pode acabar sendo muito simples.

Então, uma pancada durante uma partida de futebol, para aqueles que tem isso apenas como hobby, pode ser algo muito grave, enquanto para o atleta não.

Isso acontece justamente pelo fato de que o esportista já está fisicamente preparado, fazendo com que a lesão possa ser menos intensa.

Nesse caso, para o atleta, o simples ato de se manter em repouso e aplicar gelo pode ser o suficiente para que ele se cure.

O tipo físico influencia

Outro ponto a se considerar quando falamos sobre como tratar atletas lesionados é a respeito do tipo físico.

Falando de forma geral, os atletas mais jovens costumam ter um tempo de recuperação muito menor, uma vez que já estão mais bem preparados e capacitados a isso.

Afinal de contas, naturalmente os corpos dos atletas acabam sendo submetidos a diversos esforços mais intensos.

Por consequência, acabam por responder com muito mais rapidez do que aqueles que são sedentários, mais velhos ou com menor nível de preparação física.

Capacidade mental para o enfrentamento da lesão

Não é só o físico que se deve levar em consideração ao falar sobre como tratar atletas lesionados, mas também a capacidade mental.

Dizemos isso porque o preparo mental e psicológico do esportista costuma ser muito mais sólido.

Isto é, mentalmente falando, eles estão muito mais bem preparados para lidar com situações adversas como essas.

Por consequência, faz com que eles se tornem mais energéticos e envolvidos, contribuindo para uma recuperação mais acelerada.

O acesso a médicos técnicos

Ter acesso à equipe especializada também é fundamental para garantir uma recuperação muito mais eficaz para o esportista.

Afinal de contas, os profissionais do esporte costumam ter acesso rápido a todos os tipos de exames diagnósticos e tratamentos, sejam eles preventivos ou curativos, como por exemplo o tratamento de um pé valgo.

Sendo assim, caso queira oferecer ao atleta maiores chances de se recuperar rapidamente de uma lesão, ele deve ter acesso a médicos técnicos.

Trabalhar com um equipe conectada e envolvida

A verdade é que a recuperação de lesões esportivas não depende exclusivamente do conhecimento da Medicina Esportiva e do acesso a medicamentos e procedimentos médicos de forma imediata.

Devemos mencionar ainda sobre a importância de os atletas profissionais contarem com uma equipe completa de apoio.

Nesse sentido, ele deve ter uma equipe completa, conectada e envolvida, onde deve incluir:

  • Treinadores;
  • Fisioterapeutas;
  • Preparadores físicos;
  • Nutricionistas;
  • Médicos de várias áreas;
  • Psicólogos.

Ter acesso a todos esses profissionais acaba por potencializar os efeitos de qualquer terapia, além de também ajudar a aperfeiçoar o tempo de recuperação.

Como acontecem as lesões musculares em atletas?

Agora que você já sabe como tratar atletas lesionados, é importante entender também sobre como elas acontecem, até mesmo para saber como evitar.

Quando um atleta sofre uma lesão muscular, as fibras musculares e o tecido conjuntivo local podem se romper.

Mas, para poder determinar a gravidade da lesão e estabelecer o tratamento adequado, é necessário que o atleta passe pela avaliação de um médico.

A partir disso, ele irá determinar o grau de comprometimento das estruturas que foram lesionadas. É possível classificar as lesões em:

Grau 1

Lesões como estiramentos musculares acabam sendo consideradas de grau leve, haja vista que envolvem um comprometimento menor das fibras musculares.

Nessa situação, pode ocorrer um pouco de inchaço e hemorragia, justamente por conta do comprometimento do tecido conjuntivo local.

No que se refere ao tratamento, na grande maioria das vezes é conservador, incluindo repouso, aplicação de gelo e medicamentos para dor, se necessário.

Grau 2

Em lesões de grau moderado, as fibras musculares acabam sofrendo um dano um pouco mais grave, com ruptura parcial.

No geral, esse tipo de lesão costuma ter como causa as contrações musculares máximas, sendo que tendem a apresentar as seguintes características:

  • Dor moderada;
  • Hemorragia significativa;
  • Inchaço;
  • Restrição dos movimentos.

Grau 3

Um grande exemplo de uma lesão grau 3 é a lesão no menisco, a qual costuma atingir esportistas que se utilizam bastante do joelho.

Nesse caso, por ser mais grave, acaba requerendo o afastamento total de todas as atividades esportivas por um período prolongado.

Como causa uma dor intensa e impossibilita os movimentos, na grande maioria das vezes o tratamento tem base em alguma intervenção cirúrgica.

Como prevenir ou pelo menos atenuar essa perda?

Muito melhor do que saber como tratar atletas lesionados é entender de que forma evitar esse problema, certo? Quanto a isso, algumas das maneiras são as seguintes:

Estratégias nutricionais

É comprovado que o consumo de proteína é essencial para manter a massa muscular. Diante disso, uma das estratégias nutricionais é manter a dieta superávit, a qual deve ser orientada por um nutricionista.

Hoje em dia já se sabe que o consumo adequado do aminoácido leucina é capaz de manter o equilíbrio entre o catabolismo e o anabolismo do músculo.

Gasto calórico x adequação de proteínas

Fato é que manter um alto consumo de proteína durante a recuperação de lesões costuma ser um tanto desafiador.

E isso acontece porque o atleta não possui o mesmo gasto calórico do período de treino. Nesse caso, é preciso ajustar as calorias totais, de modo a adequar a esse novo gasto calórico, mas sem perder o equilíbrio positivo de nitrogênio.

Vencendo a resistência anabólica

Por fim, também é importante pensar na quantidade e qualidade de proteína consumida pelo atleta, em especial durante a recuperação de lesões.

No geral, estima-se que a dose recomendada é de cerca de 20g para indivíduos saudáveis. Contudo, pode ser maior para idoso ou atletas em recuperação, justamente por conta da resistência anabólica.

Fora isso, ainda é necessário ficar atento em relação à qualidade da proteína, ainda mais na maneira em que se é digerida e absorvida na composição de aminoácidos.



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage
WhatsApp - Grupo