Apenas sete meses após o início das ações de recuperação ambiental da Bacia do Ribeirão Anda Só, manancial responsável pelo abastecimento público de Goianésia, o Ser Natureza concluiu com êxito a primeira etapa no município na quinta-feira, 01.

Apresentado em abril de 2021 à prefeitura, ainda em meio às restrições da pandemia da Covid-19, o serviço Ser Natureza em Goianésia avançou com o empenho dos parceiros envolvidos: além do município, por meio das Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, também a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), a Saneago e os produtores rurais. A Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) esteve igualmente presente neste evento de encerramento da primeira fase.

O texto da publicação continua após a publicidade

As atividades estão sendo desenvolvidas pelo Ser Natureza, por meio da atuação da 2ª Promotoria de Justiça de Goianésia e da Coordenadoria de Assessoramento à Autocomposição Extrajudicial e Judicial (Caej) do Ministério Público de Goiás (MPGO). Iniciado pelo promotor de Justiça Antônio de Pádua Freitas Júnior, então titular da 2ª Promotoria, o serviço está sendo agora acompanhado pela promotora Elissa Tatiana Pryjmak, que atua em auxílio às Promotorias de Goianésia.

O assessoramento técnico desse serviço de autocomposição oferecido pelo MPGO é feito pela Caej, pelo trabalho das assessoras Gabriella Parrode e Maria José Soares. Mesmo em meio à troca de promotor responsável pelo projeto, o serviço não teve descontinuidade e o assessoramento conseguiu superar os resultados esperados, com ampla adesão da comunidade local e melhoria observável do volume de água.

Para a coordenadora da Área de Meio Ambiente e Consumidor do MPGO, Daniela Haun, “é uma grande alegria testemunhar mais um momento promissor do Ser Natureza. Tenho certeza de que em Goianésia será mais um caso de sucesso, pois o segredo é esse trabalho conjunto entre os envolvidos, para a garantia de maior resolutividade na defesa ambiental”.

Proprietário agradece o apoio recebido
Presente na cerimônia de conclusão desta primeira etapa, a promotora Elissa Pryjmak destacou não somente a importância do Ser Natureza para a preservação do meio ambiente, mas também a relevância do trabalho “extramuros” do promotor de Justiça. “Não se discute que este tipo de projeto surge dentro de nossos gabinetes, mas realmente se materializa quando estabelecemos o contato com a comunidade e com todos os atores sociais que podem com ele contribuir”, afirmou.

E acrescentou: “Eu não tenho dúvidas de que a participação ativa do Ministério Público em todas as etapas realizadas em Goianésia é fundamental para a reafirmação da importância e credibilidade do projeto, bem como para o incentivo da sociedade a um maior engajamento na questão da preservação ambiental. Dias como esse são importantes para nos lembrar e, não nos deixar esquecer, as razões pelas quais nos tornamos promotores de Justiça. Como recém-empossada no cargo de promotora de Justiça substituta, espero nunca perder o entusiasmo que eu senti hoje”.

Emocionado, o proprietário rural José Martins Vieira, cuja fazenda foi a primeira a receber as ações do Ser Natureza no município, reconheceu que sozinho não conseguiria fazer todas as intervenções necessárias para a preservação do manancial. Ele relatou que, mesmo sendo recente a implementação do projeto, já observou um aumento da água agora neste período de chuva. O plantio de mudas, definido para ocorrer nesta fase do projeto, foi realizado com a ajuda de estudantes do Colégio Estadual Presidente Costa e Silva.

Município reforça o compromisso com o Ser Natureza
Em sua fala, o secretário municipal de Meio Ambiente, André Luiz Wenceslau, afirmou que era notório o entusiasmo de todos com o projeto, especialmente por ser possível verificar, no Dia de Campo, os avanços reais já alcançados. A priorização das ações foi ainda reforçada pelo prefeito Leonardo Silva Menezes, que reiterou o compromisso do município com as parcerias já estabelecidas para o projeto.

Dirigindo-se aos estudantes, que ele nomeou como multiplicadores dessa iniciativa, o prefeito observou: “o Ribeirão Anda Só abastece Goianésia. Então, se não fizermos este trabalho, cercar estas nascentes, pensar no futuro, corremos o risco, sim, de termos falta de água. Por isso, a prefeitura sempre será parceira desta iniciativa”.

Parceiros fortaleceram o trabalho autocompositivo do MPGO
A apresentação das ações e resultados alcançados nesta primeira fase foi feita por técnicos da Emater e Saneago. O engenheiro florestal Léo Lince do Carmo, da Supervisão de Meio Ambiente da Emater, ressaltou a característica peculiar da nascente, que aflora e forma uma região de vereda. “É um tipo de nascente muito especial, que necessita não somente do cercamento da nascente em si, mas também da proteção acima da região de vereda”, esclareceu.

A gerente de Apoio à Conservação de Mananciais da Saneago, Rafaela Wolff, enfatizou a conexão entre as pessoas promovida pelo Ministério Público por meio do Ser Natureza, um dos motivos ao qual ela atribui o sucesso da iniciativa. Ela explicou como se desenvolve o trabalho técnico de elaboração das iniciativas de recuperação, em constante parceria com a Emater.



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage
WhatsApp - Grupo