A idosa Maria da Penha Oliveira, de 64 anos, internada no Hospital Municipal Irmã Fanny Duran, em Goianésia, com problemas cardíacos, aguarda pela liberação de um leito de UTI - Unidade de Terapia Intensiva. Na manhã desta sexta-feira, 21, a paciente teve seu nome inserido no Complexo Regulador Estadual - CRE, que é o órgão responsável por regular as vagas de UTI do Estado.

Sem condições de pagar por uma UTI particular, a família já não sabe pra quem mais recorrer, e assiste sem muito o que fazer, o quadro clínico de Maria da Penha piorar. Ela deu entrada no Hospital Municipal no início da noite de terça-feira, 18, com hipotensão arterial (pressão baixa), fraqueza e falta de ar, indo direto para a sala de emergência.

Exames diagnosticaram que Maria da Penha possui Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC, Hipertensão Arterial Sistêmica - HAS, diabetes tipo 2, Insuficiência Cardíaca Congestiva - ICC, Doença Arterial Obstrutiva Periférica - DAOP, com obstrução de 100% da perna direita e 50% da perna esquerda, além de ainda apresentar Oligúrica (redução na produção de urina).

Para complicar ainda mais a situação, devido as obstruções nas pernas, ela precisa passar por cirurgias, correndo, inclusive, o risco de amputar as pernas. Como a família não tem condições de bancar a cirurgia e nem uma UTI particular, comovidos com a situação, amigos da família, fizeram ações sociais, para arrecadar dinheiro. Um dos amigos doou uma bezerra, que foi rifada, e o ganhador doou novamente a bezerra para que fosse realizado um bingo. Um pix também foi colocado à disposição para receber doações, que podem ser feitas pela chave CPF 70059499192 (Divanildo Guilherme da Silva).



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage
WhatsApp - Grupo