Um dos suspeitos na morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips confessou ter matado os dois homens desaparecidos. Autoridades levaram Oseney da Costa de Oliveira, de 41 anos, conhecido como "Dos Santos", ao local das buscas.

O homem é o segundo preso suspeito de participação no crime e assumiu que as vítimas foram mortas, esquartejadas e os corpos foram incinerados. Em seguida, foram jogados em uma vala. A informação foi divulgada pela TV Bandeirantes e confirmada pela TV Globo.

De acordo com a CNN Brasil, fontes da PF revelaram que Amarildo confessou que a morte de Bruno e Dom Phillips possui relação com as denúncias feitas pelos dois sobre a prática de pesca ilegal na região.

Segundo a Bandeirantes, ainda precisará ser feita uma análise do material para comprovar a confissão de Oseney e Amarildo da Costa de Oliveira.

As buscas estão sendo feitas na margem esquerda do rio Itaquaí, perto da Comunidade São Gabriel.

Dom Phillips e Bruno Pereira estavam desaparecidos desde o dia 5 de junho, quando transitavam pela terra indígena Vale do Javari. A expectativa era de que eles chegassem em Atalaia do Norte após duas horas de trajeto, mas, depois de seis horas, lideranças indígenas estranharam a demora e começaram as buscas.

O desaparecimento foi notificado inicialmente pela União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), da qual Bruno faz parte como consultor, no dia 6 de junho. A esposa de Dom Phillips e o cunhado do jornalista também se manifestaram e pediram a intensificação das buscas.

No dia 12, autoridades encontraram pertences de Bruno e Dom durante as buscas, como um cartão de saúde em nome do indigenista, mochila, bota e uma calça.

As investigações continuam.



Fique bem informado, nos acompanhe em nossas redes sociais
Telegram
Instagram
Twitter
Facebook - Grupo
Facebook - FanPage
WhatsApp - Grupo