Goiânia (Mais Goiás) - O preço do gás de cozinha vai subir no mês de setembro em Goiás. A informação foi adiantada ao Mais Goiás pelo Sindicato das Empresas Revendedoras de Gás da Região Centro-Oeste - Sinergás, que justificou o futuro aumento com a alta nos custos do transporte do produto. O aumento esperado é em torno de R$ 5.

De acordo com o presidente do Sinergás, Zenildo Dias, o aumento será repassado pela distribuidora e deverá ser notado a partir de 5 de setembro. O reajuste se deve principalmente ao aumento dos custos com processo logístico de gás. Atualmente, o botijão de 13 quilos pode ser encontrado em Goiânia em preços que vão de R$ 85 a R$ 110.

O texto da publicação continua após a publicidade

Além desse, Zenildo afirma ainda que a Petrobras também pode implementar novo aumento ainda neste mês, uma vez que é de praxe que a estatal reajuste o preço do gás logo após o da gasolina.

Vale lembrar que o preço da gasolina em Goiás e no resto do país deve ficar ainda mais alto após a Petrobras reajustar, novamente, o valor do combustível nas refinarias. A decisão de repassar o reajuste aos consumidores fica a cargo dos postos de combustíveis.

Conforme a Secretaria da Economia de Goiás, a alíquota do ICMS do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o popular gás de cozinha, não teve alteração desde o início de vigência do Código Tributário do Estado de Goiás (CTE), em 1992. A incidência do produto é de 12%.

Já a alíquota efetiva de ICMS do diesel e do etanol sofreram reajuste, pela última vez, a partir de 1º de novembro de 2017, quando foi feita uma alteração dos benefícios fiscais então vigentes. De acordo com a Secretaria da Economia, em 1º de janeiro de 2018 a alíquota foi alterada e os benefícios fiscais foram revogados. “Com isso, o diesel passou de 15% para 16% e o etanol de 22% para 25%”, detalhou a pasta.

Em relação à gasolina, a alíquota efetiva passou de 29% para 30%, com vigência a partir de 1º de janeiro de 2016.