Rio de Janeiro (Metrópoles) - A ex-deputada federal Flordelis foi presa no início da noite desta sexta-feira, 13, em casa em Pendotiba, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, minutos após a Justiça decretar a prisão preventiva. A informação foi confirmada ao Metrópoles pela Polícia Civil do RJ.

Ré, ela é acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019, na mesma casa onde ela foi detida. Ela responde por homicídio triplamente qualificado - motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima -, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Flordelis foi levada para a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG).

A prisão preventiva foi pedida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) na tarde desta sexta e decretada pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce. A magistrada determinou que Flordelis não pode ter contato com outros acusados, todos presos por envolvimento no crime.

Flordelis não poderia ser presa até quarta-feira, 11, quando teve o mandato cassado pelo plenário da Câmara dos Deputados por quebra de decoro parlamentar.

O advogado de Flordelis, Rodrigo Faucz, se manifestou contra a prisão.

 “É imprudente que se permita que uma juíza que paira um julgamento de suspeição possa ainda decretar a prisão. E o pior é que não há nenhum requisito idôneo para decretação. A Flordelis não apresenta nenhum risco ao processo estando solta. A prisão neste caso constitui uma antecipação de pena, em um pré-julgamento incompatível com o Estado de Direito”, afirma ele.