Rio de Janeiro (CNN Brasil) - O Rio de Janeiro está pronto para receber trabalhadores remotos de todos os cantos do país e do mundo. A Prefeitura, por meio da RioTur, lançou recentemente o programa Nômades Digitais, que incentiva trabalhadores de qualquer lugar a estender a estadia e se tornarem “moradores temporários” da Cidade Maravilhosa.

Aderindo a uma tendência mundial, o Rio promete ser o primeiro polo desta categoria na América do Sul, em que oferecerá infraestrutura básica para a experiência de se trabalhar e viver como um carioca - pelo menos por um período. A iniciativa, já estabelecida em outros destinos do mundo, possui por enquanto 56 hotéis, 14 hostels e 18 espaços de coworking cadastrados para receber aqueles que querem estabelecer uma rotina de trabalho e curtir a cidade. As informações estão reunidas neste site da RioTur, em que o Cocapabana Palace, em Copacabana, e o Janeiro Hotel, no Leblon, fazem parte da lista.

O texto da publicação continua após a publicidade

Para abraçar o projeto, a cidade solicitou ao Conselho Nacional de Imigração que o Brasil tenha um visto específico para a entrada de nômades digitais, sendo um meio termo entre o de turista e o de negócios. “A Prefeitura acaba de dar um passo importante para a consolidação da cidade e do Brasil como um polo de atração dos nômades digitais. O pedido de regulamentação da entrada desse público no país com um visto específico é uma conquista”, explicou Eduardo Paes, prefeito do Rio.

Incentivos
Para estimular a escolha da cidade como base e aumentar o tempo de permanência desse público, os estabelecimentos do setor que adotarem a iniciativa vão receber o selo “Rio Digital Nomads”, concedido gratuitamente pela Riotur.

Assim, hotéis e hostels cadastrados no programa têm tarifas especiais para nômades digitais que aderirem a pacotes de longa permanência. Espaços de coworkings também receberão o selo e oferecerão tarifas diferenciadas. Com isso, todos estes estabelecimentos, além de restaurantes e cafés, certificam-se de oferecer uma conexão de internet de qualidade para a execução do trabalho remoto.

“O projeto é uma excelente oportunidade de vender melhor o Rio para todos brasileiros e estrangeiros que encontram aqui um destino completo de trabalho e lazer, ideal para a nova realidade”, ressalta o presidente do Sindicato dos Meios de Hospedagens do Município (SindHotéis Rio), Alfredo Lopes.