O STF - Supremo Tribunal Federal - confirmou nesta quarta-feira, 23, em placar de 7 a 4, a decisão da Segunda Turma da corte de declarar a parcialidade do ex-juiz Sergio Moro na condução do processo do tríplex de Guarujá, que levou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à prisão por 580 dias. 

Último a votar, o presidente do STF, Luiz Fux, se posicionou contra a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. No entanto, já havia sido formada maioria pela declaração de suspeição. Na ação do triplex, Lula acabou enquadrado pela Lei da Ficha Limpa e foi afastado da corrida ao Palácio do Planalto em 2018, permanecendo preso por 580 dias.

O texto da publicação continua após a publicidade

Após a anulação das decisões pelo ministro Edson Fachin, Lula voltou a ser considerado elegível.