O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ameaçou acionar as Forças Armadas contra medidas de restrição estabelecidas por governadores para combater a pandemia da Covid-19, durante entrevista concedida à TV A Crítica, no Amazonas. As informações são do Mais Goiás.

"O que eu me preparo, não vou entrar em detalhes... O caos no Brasil. Já falei que essa política do lockdown, do toque de recolher, essa política de 'fique em casa'... Isso é um absurdo", criticou Bolsonaro, após ser questionado pelo apresentador se já não estaria na hora de uma reação mais enérgica dele, na linha, "ora, vamos parar com isso".

O texto da publicação continua após a publicidade

"Se tivermos problemas, nós temos um plano de entrar em campo. Eu sou o chefe supremo das Forças Armadas. O nosso Exército, as nossas Forças Armadas, se precisar, nós iremos para as ruas. Mas não para manter o povo dentro de casa, e sim para restabelecer todo o artigo 5º da Constituição. Se eu decretar isso, vai ser cumprido este decreto. Então, as nossas Forças Armadas podem ir para a rua um dia, sim, dentro das quatro linhas da Constituição para fazer cumprir o artigo 5º, direito de ir e vir, acabar com essa covardia de toque de recolher, [garantir o] direito ao trabalho, liberdade religiosa de culto, para cumprir tudo aquilo que está sendo descumprido por parte de alguns governadores e alguns poucos prefeitos."

 artigo 5º da Constituição Brasileira, citado por Bolsonaro na entrevista, diz que "todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade".

Bolsonaro tem feito críticas constantes às medidas restritivas e aos governadores, que, por sua vez, aumentaram a pressão sobre o presidente diante da ineficiência do governo federal no combate à pandemia. Em março, por exemplo, ele criticou o toque de recolher decretado pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), para conter a transmissão do coronavírus.