O ministro Nunes Marques do Supremo Tribunal Federal votou contra a suspeição do ex-juiz da Lava Jato em Curitiba, Sergio Moro, na sessão da 2ª turma do STF e desempatou a votação do último dia 9 de março.

A ministra Cármen Lúcia decidiu reapresentar seu voto depois da exposição do colega. Na última sessão ela havia votado a favor de Moro, mas pediu para apresentar novamente o voto.

O texto da publicação continua após a publicidade

Com a decisão, os processos relacionados ao ex-presidente Lula na Lava Jato não passam a ser julgados pela Justiça Federal em Brasília. São 4 ações: a do tríplex do Guarujá, a do Sítio de Atibaia, a da compra de um terreno para o Instituto Lula e a das doações da Odebrecht ao instituto.

O julgamento continua.