Os governos da França e de outros países, como Itália, Alemanha e Holanda, veem sinais da emergência de uma terceira onda da doença e passaram a fechar as portas, se preparar para isso ou adiar reaberturas. As informações são da BBC Brasil.

Atualmente, o coronavírus mata por dia no Brasil cerca de 10 pessoas a cada 1 milhão de habitantes. Na União Europeia, essa taxa diária é de quase 5 mortos por milhão. Ambas estão em trajetória de alta, porém de forma mais acentuada no Brasil.

O texto da publicação continua após a publicidade

Se forem considerados os dados dos maiores países do bloco europeu, a Polônia lidera com 7,6 mortes por milhão a cada dia, seguida de Itália (6,3), França (3,9), Espanha (2,5) e Alemanha (2,2).

A situação em Paris é particularmente preocupante com quase 1.200 pessoas em tratamento intensivo em hospitais, mais do que no pico da segunda onda em novembro, segundo o ministro da Saúde francês, Olivier Véran.

Na última sexta-feira, 19, por exemplo, houve o fechamento de comércio não essencial em 16 regiões francesas, onde vivem quase 21 milhões de pessoas, incluindo a capital, Paris.

Mas as medidas desta vez não foram tão rígidas quanto no lockdown anterior, disse o primeiro-ministro Jean Castex. As pessoas foram autorizadas a se exercitar ao ar livre, escolas continuaram abertas, mas as viagens entre cidades só podem ser feitas por motivos essenciais.

O novo lockdown na França foi anunciado poucos dias depois de anúncio semelhante na Itália.

Atualmente, escolas, lojas e restaurantes estão fechados em mais da metade do território italiano, incluindo as duas regiões mais populosas, onde ficam Roma e Milão.

Os residentes serão obrigados a permanecer em casa, exceto por motivos de trabalho, saúde ou outros motivos essenciais.

O termo lockdown não se refere ao mesmo conjunto de medidas, mas acabou se tornando sinônimo de medidas rígidas. Mas há níveis diferentes, e cada país ou região adota suas próprias restrições, com horários e setores afetados de modo distinto.