Cinco militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) foram presos nesta quinta-feira, 18, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, depois de estenderem uma faixa contra o presidente Bolsonaro (sem partido) com a palavra “genocida”. De acordo com informações divulgadas por membros do partido, os presos, que foram levados para a Polícia Federal, teriam sido enquadrados na Lei de Segurança Nacional. As informações são do Metrópoles.

Os deputados Alencar Santana Braga (PT-SP), Natália Bonavides (PT-RN) e Paulo Pimenta avisaram que estão a caminho da PF para acompanhar de perto o caso.

O texto da publicação continua após a publicidade

A foto divulgada pelos deputados mostra que a faixa exibia referência a uma charge publicada pelo cartunista Aroeira, com a cruz suástica, referência do nazismo, associada ao presidente da República.

Por meio de nota, a PM confirmou a prisão e o encaminhamento dos detidos para a PF.

“A Polícia Militar prendeu cinco homens por infringir a Lei de Segurança Nacional ao divulgar a cruz suástica associando o símbolo ao Presidente da República. O grupo foi detido, na manhã desta quinta-feira (18), quando estendia, na Praça dos 3 Poderes, a faixa chamando o Presidente de genocida ao lado do símbolo nazista. Os homens foram levados para a Delegacia da Polícia Federal”, diz nota da Polícia Militar do Distrito Federal.