Homem de 36 anos foi preso em Iporá por estuprar adolescente e colocar fogo na casa da família da vítima — Foto: Polícia Civil/DivulgaçãoG1 Goiás - Um homem de 36 anos foi preso nesta segunda-feira, 29, por estuprar uma menina de 12 anos e colocar fogo na casa da vítima, em Iporá, região central de Goiás, segundo informou a Polícia Civil. A vítima é filha de uma mulher com quem o homem já manteve um relacionamento.

De acordo com o delegado Ramon Queiroz, no momento da prisão o homem estava com três calcinhas da menina no bolso.

O texto da publicação continua após a publicidade

“Ele não apresentou advogado. Disse que não praticou nada contra a menina e que apenas colocou fogo”, informou Queiroz.

O suspeito, segundo o delegado já havia sido preso anteriormente por agredir a mãe da adolescente.

“Ele foi até essa residência dela [ex-companheira], mas ela havia saído de casa e a adolescente estava lá dormindo, então ele tapou a boca da vítima para ela não gritar e praticou o crime sexual”, disse o delegado.

Ainda segundo Queiroz, a vítima contou que acordou e pediu que o suspeito buscasse uma água porque ela estava muito nervosa.

“Enquanto ele foi buscar essa água, a adolescente conseguiu fugir da residência. Após essa fuga, por ter sido contrariado, ele acabou colocando fogo em algumas partes da residência e fugiu”, contou Queiroz.

Vizinhos da casa, que fica no Setor Umuarama, acionaram o Corpo de Bombeiros ao notar a fumaça. Eles também socorreram a vítima.

“Vizinhos ao lado viram essa menina em fuga, praticamente sem roupa e chamaram a polícia. O fato foi trazido para Polícia Civil. Logo iniciamos as buscas e prendemos ele ainda pela manhã”, afirmou o delegado.

O homem ainda tentou fugir, mas acabou preso na zona rural de Iporá.

“Ele vai responder por estupro de vulnerável e pelo incêndio e será levado para o presídio de Iporá”, disse Queiroz

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo destruiu quase todo o teto da casa. Já a menina precisou ser levada ao hospital da cidade por conta de uma crise nervosa.

O delegado informou que ela passará por exame de exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal - IML - da cidade.