Senador Canedo - Uma adolescente de 16 anos morreu e dois jovens - um rapaz, de 19, e uma moça, de 23 -, foram baleados na madrugada deste sábado, 17, durante confusão em uma boate de Senador Canedo, Região Metropolitana de Goiânia. Segundo relato da Polícia Militar na ocorrência, o suspeito é um jovem de 18 anos, namorado da menor, que fugiu após o crime. As informações são do G1.

Os três baleados foram socorridos e levados para Unidade de Pronto Atendimento - UPA - da cidade. A adolescente não resistiu e morreu no local. Já os outros dois feridos foram encaminhados ao Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia - HUAPA.

O texto da publicação continua após a publicidade

Em nota, a unidade de saúde informou que os dois foram socorridos e depois receberam alta.

Ainda conforme a ocorrência, os disparos ocorreram após uma briga, cuja motivação ainda é desconhecida. Testemunhas afirmaram que durante a discussão, o namorado da adolescente sacou uma arma e começou a atirar, atingindo as três vítimas.

O registro aponta ainda que a mãe do suspeito esteve na UPA. Ela contou aos policiais que recebeu uma ligação do filho logo após o fato. Nela, conta, ele relatou "ter ocorrido uma briga na danceteria e teria efetuado disparos de arma de fogo que atingiu sua namorada". Por isso, o suspeito pediu que ela fosse verificar como a menor estava.

A PM informou na ocorrência que o menor suspeito dos disparos e a namorada já tinham passagens.

Invasão
Ainda na UPA, conforme o boletim, cerca de 30 pessoas precisaram ser contidas, pois, queriam invadir o local. O intuito era agredir uma testemunha, que estaria junto com o suspeito dos disparos no momento da briga.

Aos policiais, ele afirmou que houve uma briga e que a adolescente foi ferida "ao tentar evitar que o namorado efetuasse os disparos".

A PM conseguiu dispersar o grupo que pretendia invadir a UPA. No entanto, algum tempo depois, os militares receberam uma ligação de que uma casa havia sido invadida.

Chegando ao local, duas testemunhas afirmaram que oito pessoas invadiram a casa e destruíram um carro e vários eletrodomésticos. Eles afirmavam que procuravam pelo amigo do suspeito de efetuar os disparos "querendo vingar".

O que diz a boate
Ao G1, um dos sócios da boate Hit Mix, Bruno Ferreira dos Santos, informou que a boate já estava fechada no momento do crime, apesar de ainda haver pessoas lá dentro. Ele afirmou também que a menina não estava na festa e apenas pediu para usar o banheiro.

"Isso aconteceu a boate já estava fechada. É porque fica um entra e sai. O rapaz rendeu o pessoal da portaria e entrou. Quem vai segurar? Eu tinha segurança, mas não tenho segurança armada. Não é permitido a entrada de menores. Ela não estava na festa. Ela entrou depois que pediu para usar lá [o banheiro]", afirmou.