Imagem: Divulgação/Polícia MilitarO Grupo de Patrulhamento Tático - GPT - composto pelo SGT Santos, SD Da Cruz, SD Freias e SD Eisenhower, realizava patrulhamento pela Rua 32, região oeste de Goianésia, quando se depararam com W. Q. S., de 26 anos, em atitudes suspeitas, na esquina com a Rua 17. Ao realizar a abordagem foi encontrado em seu poder papéis para uso de maconha.

Diante dos fatos, os policiais realizaram consulta nominal nos sistemas policiais e foi constatado que a suspeita possuía passagem por tráfico de drogas, desta forma, a abordada foi questionada se em sua residência haveria algum material ilícito e como resposta ela disse que não havia nenhum tipo de droga.

Imagem: Divulgação/Polícia MilitarOs militares deslocaram até o endereço por ela informado, porém, tratava-se do endereço de sua mãe, então ela foi novamente questionada e respondeu que morava em uma fazenda nas proximidades de Goianésia. Assim, os PM’s deslocaram à fazenda onde ela relatou que estava nervosa porque havia uma arma de fogo em sua casa pertencente ao seu esposo, P. H. P. R., de 28 anos.

Com a autorização da abordada, os policiais fizeram uma busca domiciliar e encontraram uma arma de fogo, tipo garrucha, calibre 36 municiada com um cartucho intacto, escondida no interior de um guarda-roupas. Em seguida, o esposo da suspeita foi encontrado e confirmou ser o real proprietário da arma. Deste modo, ele recebeu voz de prisão e foi levado para a Delegacia de Polícia de Goianésia juntamente com a arma apreendida. Já a mulher foi liberada no local.