A Polícia Civil de Goianésia continua investigando o homicídio ocorrido na cidade na noite deste sábado, 11, durante a festa maína da Escola Luiz César de Siqueira Melo que estava sendo realizada no Clube do Gasa. Além da morte de Marcos Vinícius F. Machado Borges, de 14 anos, outras duas pessoas ficaram feridas.

Nesta segunda-feira, 13, policiais civis já haviam realizado a apreensão do principal de ter cometido o crime, no entanto, a polícia desconfiava que outra pessoa pudesse ter tido participação, uma vez que o ataque ocorreu cerca de 40 minutos após a primeira discussão.

“Ao analisar as dinâmicas dos fatos, ouvir testemunhas, vítimas, e até pelo próprio silêncio do autor a gente começou a desconfiar e ter quase certeza realmente da participação de uma segunda pessoa. E esta pessoa seria responsável por ter levado esta arma até o local. A gente não tem dúvida que [após o desentendimento] ele começou a ligar para algumas pessoas para tentar achar quem teria uma arma, um punhal, ou outro tipo de arma, que poderia levar até ele. E nós identificamos este menor também, infelizmente trata-se de um menor”, explicou o delegado responsável pelo caso, Marco Antônio Maia.

O delegado disse ainda que chegando à delegacia o segundo suspeito confessou e deu alguns detalhes sobre o crime. “Por volta de 09h40 da noite [de sábado, 11], o autor, que era amigo dele pessoal, ligou contando que tinha tido uma discussão com alguns adolescentes na festa e que precisava que ele levasse um punhal que ele ia tira satisfação com estes meninos. Então ele pegou emprestado uma biz da sua mãe e foi até o local. Eles se encontraram na portaria, foram juntos até o local e passou esse punhal para o executor, e o executor fez o seu ataque, esfaqueou os três adolescentes. Eles foram juntos na moto para a casa desse segundo menor e dali eles se separaram para não chamar tanta atenção. Então, hoje, pela conduta e até pela confissão, a gente não tem dúvida que ele participou”, explicou.

O segundo suspeito encontra-se apreendido na delegacia de Goianésia onde permanecerá por até cinco dias. Ele deverá ser encaminhado ao Poder Judiciário e ao Ministério Público para tentar identificar qual a culpabilidade e qual seria a pena dele por esta participação no homicídio e na dupla tentativa de homicídio.

Marco Antônio Maia salientou ainda que se não aparecer nenhuma novidade sobre o caso, uma testemunha que saiba de alguma coisa totalmente diferente o caso está praticamente encerrado com a prisão dos dois menores. O delegado acredita que até o fim de semana o inquérito deverá chegar às mãos dos magistrados do Poder Judiciário e do Ministério Público.