O Ser Humano já nasce com direitos e deveres, direitos esses que são fundamentais para o bem estar em sociedade. Somos livres para ir e vir, assegurados em nosso território.

Na atualidade observa-se uma sociedade diversa e plural, mas que há uma acentuada desigualdade onde aqueles que são considerados “diferentes” são lançados às margens. Onde deveria haver equidade de oportunidades e direitos igualitários há barreiras que precisam ser transpostas diariamente pelas Pessoas com Deficiência ou Necessidades Especiais.

Ao longo do tempo foram sancionadas leis, decretos, congressos foram realizados em prol da Pessoa com deficiência com objetivo de efetivar a garantia dos direitos. Na prática falta muito a se fazer, as Pessoas com deficiência diariamente esforçam-se, adaptando-se e ultrapassando as diversas barreiras que há na sociedade e lugares que as mesmas frequentam.

Falta empatia por parte da sociedade, do poder público, legislativo e executivo que tem o poder de gerir uma cidade e das pessoas que podem e devem lutar, mas que na maioria das vezes fecham os olhos para as “minorias”.

Em Goianésia Goiás o Projeto Social Voluntário Despertar do Silêncio atua desde 2015 com a divulgação da Libras (Língua Brasileira de Sinais) por várias partes da cidade, prestando um serviço voluntário e gratuito aos Surdos do município. O objetivo do Projeto é desenvolver Libras, conscientizar a respeito da inclusão social e acessibilidade que até o presente momento nossa cidade não tem.

Ao longo do processo de execução do Projeto Despertar do Silêncio foram levadas ações de conscientização e orientação ao nosso prefeito atual, vereadores e até mesmo Ministério Público.

Nosso dever como cidadão é respeitar as singularidades, acolher e incluir a todos (independentemente de ter ou não alguma deficiência ou limitação). Buscamos e idealizamos uma sociedade inclusiva onde ninguém sofra por causa de sua orientação sexual, religião, cor,... ou por ter alguma deficiência ou limitação, enfim que chegue o momento que TODOS tenham uma consciência de RESPEITO e que não precisemos denunciar ou ir as ruas “gritar” pela efetivação dos direitos básicos.

Por Leandro da Silva Sousa
Pedagogo e Intérprete de Libras
Responsável pelo Projeto
Despertar do Silêncio

 

REFERÊNCIAS:
Todos são iguais perante a lei, ART. 5, INC. XV DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 Define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor LEI Nº 7.716, DE 5 DE JANEIRO DE 1989.

Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência) LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015.

Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002 DECRETO Nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005.