O Ministério Público de Goiás denunciou seis agentes penitenciários e um detento por estuprar mulheres presas na cadeia de Goianésia. Consta na denúncia ainda que o preso possuía regalias, como a chave das celas, uniforme e até arma. As investigações tiveram início após o MP receber uma denúncia anônima.

De acordo com a denúncia, pelos menos três mulheres foram estupradas dentro do presídio, sendo que o detendo suspeito de envolvimento no caso tinha as chaves das celas (ala masculina e feminina), e seis agentes penitenciários, forneciam regalias para algumas detentas, como banhos de sol mais prolongados e maços de cigarro.

A apuração do MP mostra que em troca destas regalias, eles cobravam favores sexuais. Algumas vezes, os favores eram feitos com o consentimento das detentas, mas em outros casos, elas eram estupradas.

“Esse mesmo preso que tinha todo esse trânsito no presídio também recebia dos agentes uniforme e armamento, inclusive é confirmado pelos próprios agente penitenciários que lhe foi entregue uma arma calibre 12, uma espingarda”, disse o promotor Luciano Miranda em entrevista à TV Anhanguera.

Os denunciados poderão responder por estupro, ameaça, abuso de autoridade, lesão corporal, dentre outros crimes. “Esse fato demonstra a falência do sistema prisional goiano, a falta de agente e, principalmente, o amadorismo como nosso estado trata o nosso sistema prisional”, completou Luciano Miranda.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária informou que está apurando o caso. Quatro agentes que estão sendo investigados foram demitidos, e o preso foi transferido para outra unidade.