Os professores do Instituto Tecnológico do Estado de Goiás - ITEGO - Governador Otávio Lage, em Goianésia, entraram de greve nesta segunda-feira, 03, após completar dois meses de salários atrasados.

Em comunicado emitido pelos professores diz que “a situação está insustentável” e é “vergonhoso não podermos honrar com nossos compromissos, compromissos feitos pela certeza de poder cumpri-los”. O comunicado ainda pede a compreensão, apoio e colaboração dos alunos, os mais prejudicados com esta situação.

A previsão inicial era que o pagamento fosse realizado no dia 22 de novembro, logo após uma reunião entre os professores e a Fundação Antares, OS - Organização Social, responsável por gerir o ITEGO, porém, o pagamento não foi realizado e foi acordado um novo prazo, encerrado no último dia 30.

Como o pagamento não foi liberado e não há previsão de quando seja, os professores resolveram então, em comum acordo, paralisarem os serviços a partir desta segunda. Está prevista também uma manifestação no ITEGO a partir das 18h45.