No aterro sanitário foi criado um depósito provisório de lixo, em caráter emergencial. Esta foi a saída encontrada pela prefeitura de Goianésia, através da Secretaria de Meio Ambiente, para resolver a falta de lugar para armazenar o lixo desde que saturou a Trincheira 07. Trincheira 08 será concluída agora com o início da estiagem. 

Em outubro, o titular da pasta, André Wenceslau, concedeu entrevista e afirmou que até dezembro, a obra da nova trincheira estaria pronta.

No entanto, nesta quarta, 09, o secretário declarou que foi criado um depósito provisório de lixo, em caráter emergencial. Quando questionado sobre a obra, Wenceslau alegou que há esforços por parte do Município e que a obra está sendo concluída. “Estamos trabalhando para garantir que seja regularizado. Tivemos problemas relacionados as condições climáticas, mas, já retornamos as obras e iremos inaugurá-la no próximo mês”, disse.

Ainda segundo o secretário, uma área vaga dentro do aterro, denominada “célula”, está servindo para o depósito das quase 35 toneladas de lixo produzidas diariamente em Goianésia. Porém, esta não é a primeira vez que a Prefeitura toma medidas provisórias para resolver o problema.

Na semana passada, em requerimento apresentado pelo Vereador Maurício André Gomes (PSDB) e aprovado por unanimidade, foi pedido explicações ao secretário André Wenceslau para verificar denúncia de possível funcionamento irregular do empreendimento do Município. O secretário afirmou que já foi encaminhado explicações, inclusive ao Ministério Público e a SECIMA.

Procurado pela reportagem, o secretário municipal de Meio Ambiente, André Luiz Wenceslau, reconheceu que há um problema na operação do aterro, mas segundo informou, isso já aconteceu desde que foi "inaugurado", e está sendo realizado um novo planejamento para que não seja mais utilizado o depósito provisório no local. “Vamos concluir e operar a trincheira 08 agora no mês de junho e já iniciarmos, de imediato, a construção da 09, para não passarmos novamente pelo mesmo problema”, afirmou o secretário.

Wenceslau disse que o Município vem ainda tentado trabalhar insistentemente a importância de se separar o material reciclável que não deve ir para o aterro. "Estávamos com dificuldades de realizar a coleta seletiva, tanto que iniciamos este trabalho recentemente, com a construção do galpão e esteira. A gestão dos resíduos é um processo que envolve diversas situações. É uma operação muito complexa e que estamos trabalhando há muito tempo", elucida.

t5
t1
t2
t3
t4