Suspeito foi detido nesta quinta - Imagem: Divulgação/Polícia CivilA Polícia Civil de Barro Alto concluiu investigação e prendeu nesta quinta-feira, 02, José Elias Rodrigues Rabelo, de 42 anos, suspeito de praticar diversos estelionatos nos Estados de Goiás e Mato Grosso.

Segundo a polícia civil, as investigações começaram no final do mês de fevereiro, quando uma das vítimas procurou a delegacia e registrou uma ocorrência noticiando o crime. A vítima informou que manteve um relacionamento amoroso com José Elias e por ela ser semianalfabeta (não sabe ler, apenas consegue escrever seu nome com dificuldade) ele iniciou seu plano criminoso. A mulher informou que depois de muita insistência, resolveu ceder as pressões de José Elias e concordou em vender sua casa. O suspeito se apropriou dos valores obtidos com a venda da casa, causando-lhe um prejuízo financeiro de R$ 80 mil.

Não bastasse, José Elias solicitou cartões de débito e crédito em nome da mulher, que inclusive já recebeu comunicações de protestos de cheque devolvidos sem provimento de fundos. Relatou que o homem ainda a obrigou a assinar dois contratos de compra de ágios de lotes, sendo um na cidade de Trindade e outro em Alexânia. Segundo as investigações, José Elias utilizava estes contratos para cometer os estelionatos.

Após concluir seu intento criminoso, José Elias passou a proferir ameaças de morte para a vítima e para o sobrinho dela, testemunha dos fatos.

Documentos apreendidos em poder do suspeito - Imagem: Divulgação/Polícia CivilNo começo de abril outra vítima do estelionatário procurou a Delegacia de Barro Alto e narrou praticamente a mesma história. A nova vítima contou que manteve um relacionamento amoroso com José Elias por aproximadamente três meses, foi quando ele deu início a mais um plano criminoso para se enriquecer ilicitamente. No mês de janeiro do ano de 2019, quando ainda se relacionavam, José Elias a levou até a cidade de Anápolis para assinarem uma documentação em um cartório. Ele teria pedido à mulher que assinasse o documento alegando se tratar de uma documentação referente a uma redução de impostos de uma terra que havia ganhado do INCRA e que sua assinatura era importante, pois ficariam juntos.

Confiando em José, a mulher alegou ter assinado a documentação sem fazer a devida leitura, uma vez que o suspeito tampava o texto do documento com os braços e após a assinatura foi realizado o reconhecimento de firma. Para sua surpresa, no dia primeiro de abril, a mulher recebeu uma mensagem de uma das vítimas de José Elias dizendo que comprou a terra por duzentos mil reais e estava de posse de um documento assinado pela mulher.

De acordo com a Polícia Civil, além dos dois casos investigados, foram ainda registradas outras seis ocorrências no Estado de Goiás em desfavor de José Elias pelo crime de estelionato. Os golpes teriam ocorridos nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Trindade, Goianira, São Miguel do Araguaia e também em Cocalinho, Mato Grosso.

Outro golpe que José Elias aplicava era no OLX. No site de vendas ele oferecia ou anunciava um imóvel (chácaras, lotes, terrenos, etc), apresenta às vítimas documentação fraudulenta sobre a regularidade do bem (na maioria dos casos sequer existiam) induzindo-as ao erro e obtendo dessa forma vantagem econômica ilícita. Em outros casos, José Elias permutava (trocava) imóveis e carros com as vítimas, que lhe passavam os documentos necessários para a transferência, mas ele não honrava a sua parte no negócio, e ainda revendia a outras pessoas os imóveis, causando prejuízos financeiros de grande monta.

A Delegada responsável pelo caso, Poliana Bergamo, informou que foram apreendidos com o suspeito diversos documentos, entre eles, 35 contratos de promessa de compra e venda utilizado para induzir as vítimas em erro, documentos pessoais, diversos comprovantes de depósitos e transferências bancárias, além de documentos de veículos.

Polícia diz que rifas também eram fraudulentas - Imagem: Divulgação/Polícia CivilEm poder do estelionatário ainda foram encontradas 650 rifas de um sorteio, datado que ocorreu no dia 14 de dezembro do ano passado, às 20h00, em Barro Alto. A rifa ofertava como 1º prêmio uma chácara escriturada em Niquelândia, como 2º prêmio um boi nelore e como 3º prêmio duas novilhas nelore de um ano. A rifa era vendida a R$ 20. Além do mais, foram encontradas 475 rifas do sorteio de uma chácara escriturada de 01 alqueires à beira do Rio Araguaia em Cocalinho/MT, a ser realizado no próximo dia 16 de junho, às 17h00, no Forrozão do Mangueirão, em Caldas Novas. A rifa também estava sendo comercializada por R$ 20.

De acordo com a polícia, as investigações realizadas até o momento apontam que as rifas são fraudulentas.

Com a divulgação da imagem do suspeito, a Polícia Civil acredita outras vítimas poderão aparecer, e orienta a procurarem uma delegacia para registrar a ocorrência.