Nesta quarta-feira, 25, a Polícia Civil de Jaraguá realizou a prisão de um homem suspeito de estuprar a própria filha. Para complicar ainda mais a situação do suspeito, além de filha, a jovem é portadora de necessidades especiais, o que caracteriza estupro de vulnerável.

De acordo com o delegado que investiga o caso, Glênio Ricardo, os policiais chegaram ao homem depois que a Polícia Civil tomou conhecimento do feito através do Conselho Tutelar. Informações precisas davam conta de que uma adolescente, portadora de necessidades especiais, estava sendo abusada sexualmente pelo próprio pai. Imediatamente foi instaurado inquérito policial para averiguar a informação e, diante das provas contundentes, foi representado pela prisão temporária de 30 dias do suposto autor.

De forma célere, tanto o Ministério Público quanto o Poder Judiciário foram favoráveis ao pedido de prisão que foi cumprida na tarde de quarta-feira. Levado à delegacia, segundo o delegado, de forma fria o homem confessou que já tinha três anos que estava estuprando sua filha e, ainda, disse que a estuprava porque ela é portadora de necessidades especiais e, desta forma acreditava que dificilmente seria descoberto.

“Com sua confissão, vamos representar pela conversão da prisão temporária em prisão preventiva. Considerando o sigilo do procedimento, nenhum nome será divulgado. A Polícia Civil agradece a salutar parceria com o Poder Judiciário, com o Ministério Público e com o Conselho Tutelar, pois, essa parceria facilita, sobremaneira, os trabalhos da polícia investigativa”, esclareceu Glênio Ricardo.