Servidores da rede estadual de educação cruzaram os braços. A greve deflagrada a partir desta quarta-feira, 03, já possui a adesão de grande parte das escolas e colégios estaduais. A principal reivindicação dos funcionários públicos é em relação ao atraso salarial do mês de dezembro de 2018.

De acordo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás - SINTEGO, 42% dos servidores que a instituição representa ainda não receberam os vencimentos referentes ao último mês do ano passado. Além do pagamento de dezembro, a categoria cobra ainda do governador Ronaldo Caiado o vale alimentação de fevereiro, o piso salarial de 2019, atualização salarial para os administrativos, concurso público, dentre outros.

Na segunda-feira, 08, a categoria deverá realizar uma nova assembleia para decisão sobre a continuidade da greve.

Regional Goianésia
O Portal Meganésia entrou em contato com a presidente do SINTEGO, regional Goianésia, Rosária Nogueira, que disponibilizou a relação de escolas/colégios que já haviam aderido à greve até a manhã desta quarta-feira, 03.

Jesúpolis
Colégio Estadual Cândido Dias

São Francisco
Colégio Estadual Antonio Ferreira

Jaraguá
Colégio Estadual Balthazar de Freitas
Colégio Estadual Diógenes de Castro Ribeiro
Colégio Estadual Ornelo Machado
Colégio Estadual Manoel Ribeiro de Freitas
Colégio Estadual São José

Barro Alto
Colégio Estadual Guaraciaba

Goianésia
Colégio Estadual Felipe Camarão
Colégio Estadual Costa e Silva
Colégio Estadual Jales Machado
Colégio Estadual Laurentino Martins
Colégio Estadual Pedro Mendonça
Colégio Militar José Carrilho (Parcial) - Às 09h52 fomos informados pela direção do CEPMG que a unidade escolar não aderiu à greve e está funcionando normalmente.
Colégio Estadual Pedro Mendonça
Colégio Estadual Presidente kennedy

Santa Rita
Colégio Estadual Laurentino Martins Rodrigues

Vila Propício
Colégio Estadual Pedro II

Segundo o SINTEGO, esta lista pode sofrer alterações a qualquer momento. Caso haja, estaremos atualizando esta página.